9 siglas que todo produtor de evento deve conhecer

24 de janeiro de 2019 - Cashless

Se você, produtor de eventos, deseja compreender o meio empresarial, é imprescindível entender os significados de suas siglas.

Pensando nisso, listamos as 9 siglas que consideramos ser as mais importantes para o universo dos eventos. Confira:

produtor de eventos

 

B2C:

A sigla B2C é a abreviação para, business to customers, ou seja, é um mercado que se refere a transação comercial entre empresas consumidores.

Achamos essa sigla importante, pois ela se refere ao modelo de negócio do seu evento.

ROI:

O ROI é uma sigla em inglês para “Return Over Investment” (Retorno Sobre o Investimento). Ela te permite calcular quanto dinheiro você está ganhando, ou perdendo, sobre cada investimento feito.

Apesar de parecer complicado, é muito simples fazer o cálculo. Basta seguinte a seguinte fórmula:

produtor de eventos formula ROI

CAC:

O CAC (Custo de Aquisição de clientes) é a principal maneira de você assegurar a saúde financeira o seu evento.

Essa métrica indica os custos de investimentos em marketing e vendas para realizar uma operação de venda bem sucedida.

Calcular o CAC é muito simples. Basta seguir a seguinte fórmula:

CAC = Soma dos investimentos / Número de compradores.

KPI

Para mensurar o sucesso de um evento, é preciso antes, definir uma série de indicadores-chave que você irá monitorar. Esses indicadores são os KPI’S (Key Performance Indicator).

Aqui vai alguns exemplos KPI’S muito comuns no universo dos eventos:                                                                     

  1. Quantidade de ingressos vendidos; 
  2. Quantidade de interações com a página nas redes sociais;
  3. Quantidade de visualizações dos vídeos lançados pela produção;
  4. Quantidade de bebida vendida pelo bar.

Bom, existem uma série de indicadores que é preciso ficar de olho. Porém, para defini-los, é preciso estar por dentro de todas as áreas do evento. Dessa maneira, você consegue definir as métricas que realmente importam para o sucesso da produção.

NPS

O NPS, Net Promoter Score é uma métrica criada para medir o nível de satisfação do cliente. Esse indicador é de extrema importância na hora de fazer a pesquisa de satisfação do seu evento.

A ideia do NPS é mostrar o quanto o cliente (participante) recomenda para sua rede de contatos o produto (evento).

Confira alguns exemplos de perguntas que fazem parte do escopo do NPS:

  1. De 0 a 10, o quanto você recomendaria o evento para os seus amigos e familiares?
  2. De 0 a 10, quão gelada estava a cerveja?
  3. De 0 a 10, quão organizada estava a fila do banheiro?

O interessante desse tipo de pesquisa, é que não se restringe apenas aos clientes. Você pode aplicar um formulário NPS com o seu time, a fim de melhorar os processos internos da sua produção.

CRM

As plataformas CRM (Customers Relashioship Managment) são importantes aliadas para realizar os processos organizacionais da sua produção.

Com elas, é possível integrar as ações de marketing com as de vendas. Assim, você consegue direcionar diferentes ações, para diferentes níveis de leads. Além disso, é possível designar tarefas para os funcionários e acompanhar o desenvolvimento delas.

Em alguns textos aqui do blog, falamos na importância de se automatizar tarefas. Com essas plataformas, isso fica muito mais fácil. É possível, por exemplo, automatizar o envio de e-mails para clientes em diferentes momentos de compra.

O Hubspot, o SalesForce e a RD Station são exemplos de plataformas CRM que podem te ajudar a definir a sua estratégia.

Independente da sua escolha, contar com essas plataformas é agregar valor e organização para a sua equipe.

BI

A quantidade de dados gerados por uma produção é gigantesca. Porém, dados sem a devida análise, são apenas números. É aí que entra o BI (Business Intelligence).

Essa é uma técnica de colher e analisar os dados e, a partir disso, fornecer insights relevantes para o produtor. Esse tipo de ferramenta é uma grande aliada na hora de tomar decisões difíceis.

Com o BI, não existe mais feeling. Todas as decisões tomadas, são baseadas em dados concretos. Portanto, ao utilizá-la, a produção de seus eventos tende a se tornar muito mais assertiva.

QR CODE

Podemos que o QR CODE (Quick Response Code) é o código de barras do século 21. Essa tecnologia tem sido muito comum em eventos. Com ela, é possível substituir os códigos de barras dos ingressos e até divulgar mensagens interativas.

O motivo do QR CODE ser muito comum, é que não é necessário um leitor específico para ele. Qualquer smartphone com uma câmera, consegue realizar a leitura do código.

RFID

RFID significa: identificação por radiofrequência. Ou seja, é um método de se identificar algo através de sinais de rádio. Esse método surgiu na Segunda Guerra Mundial e sua finalidade era identificar os aviões inimigos que sobrevoavam as bases aéreas.

O sistema é composto por uma antena, uma etiqueta de radiofrequência (que contém a informação que será enviada) e um transceptor, que é o dispositivo responsável por enviar tal informação.

Pode parecer loucura trazer uma tecnologia utilizada em guerras para o universo dos eventos. Porém, devido a sua versatilidade, isso tem sido cada vez mais comum.

É possível armazenar dados nessas etiquetas. Assim, as informações que geralmente são impressas nos tickets convencionais (nome, cpf, valor, número do ingresso, etc.), são gravadas nas etiquetas RFID.